Palestra Marina Silva 2

Marina Silva profere palestra sobre “Os desafios do desenvolvimento sustentável”, na Câmara Municipal de São Paulo

A Câmara Municipal de São Paulo promoveu nesta terça-feira, 9 de junho, a palestra “Os Desafios do Desenvolvimento Sustentável”, que abordou os retrocessos da agenda ambiental e as demandas urbanas. O evento, de iniciativa da Comissão Extraordinária Permanente de Meio Ambiente, marca a comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, com palestra especial proferida pela ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva.

Participaram da mesa os vereadores Ricardo Nunes, Gilberto Natalini, Andrea Matarazzo, Ricardo Young, Paulo Fiorilo, Jonas Camisa Nova e o vereador Marquito. A gestora de meio ambiente e sustentabilidade da Associação dos Registradores Imobiliários de São Paulo – ARISP, Veridiana Aguiar, também esteve presente no evento, além de ativistas, como o apresentador Casé Peçanha e o proprietário de uma área de reserva particular em Guarulhos, Fidel Bustamante.

Marina Silva falou sobre a “Crise Ambiental Global”, os recursos ambientais e a capacidade de suporte que está se esgotando. “Já usamos 50% dos recursos e isso é mais do que o planeta pode suportar”, relatou Marina.

A ex-ministra também citou o aumento do desmatamento no Brasil, que chegou aos 250% após a publicação do Novo Código Florestal. Segundo Marina, o Brasil reúne as melhores possibilidades para entrar em um modelo sustentável de desenvolvimento, comparado a outros países, mas para isso é preciso um reposicionamento na dinâmica social, econômica e política. “É preciso transformar as nossas riquezas naturais em bens de serviços”, enfatizou.

Para Marina precisamos seguir o bom exemplo de manejo sustentável de comunidades tradicionais como indígenas, quilombolas e povoados de pescadores, que aprenderam a viver em harmonia com a natureza. Como exemplo citou a desertificação de grandes áreas desmatadas, a perda dos recursos hídricos e as mudanças climáticas e sobre o esforço que deve ser feito por todos os segmentos da sociedade para conseguirmos equilíbrio ambiental, econômico, social e cultural.

Segundo Marina Silva essas mudanças não devem impactar no desenvolvimento do agronegócio do país, já que existem novas tecnologias sustentáveis capazes de triplicar a produção agrícola do Brasil sem que seja necessário derrubar nenhuma árvore. “Temos que aumentar a produção por ganho de produtividade, não por ganho de área”.

Marina ressaltou que o Brasil precisa mudar a visão estratégica e o potencial do país para a geração de energia solar e a produção de biomassa. “Podemos nos tornar o país da economia do baixo carbono”.

Ao finalizar a palestra, a ex-ministra disse “somos gigantes pela própria natureza e continuamos dependendo da natureza”.

Sem resposta

Deixe uma resposta
  1. MARIA VALENTINA SENA E SILVA
    jun 14, 2015 - 02:09 AM

    O maior problema está na migração do campo para a cidade, pois o sistema agrícola desfavorece o homem do campo e sua família. Não há mais colonos, e sim empreiteiros que lucram com mão de obra deslocadas de seu habitat para os locais onde estão os serviços…

    Responder

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Notícias Relacionadas



Copyrıght 2019 ARISP. All RIGHTS RESERVED.

Content
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório