Eleições no TJSP definem Conselho Superior da Magistratura para o biênio 2016/2017

As eleições para o biênio 2016/2017 do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram realizadas ontem, 02, na Sala do Júri, para os cargos de direção (presidente, vice-presidente e corregedor geral), e para as Sessões de Direito Público, Direito Privado e Direto Criminal. Ocorreu também a eleição para o Conselho Consultivo da Escola Paulista da Magistratura – EPM.

O presidente eleito, Paulo Dimas de Bellis Mascaretti, recebeu 188 votos dos 332 votos computados. Em seu primeiro discurso, o presidente, que assumirá o Tribunal a partir de 1º de janeiro, agradeceu e falou que terá muito trabalho em sua gestão.

“Quero cumprimentar a todos os colegas e também ao meu amigo Eros Piceli, pela campanha positiva, propositiva e fidalga, que, com certeza, permitirá que nosso Tribunal saia fortalecido. A nossa missão e nossa promessa, simplesmente será arregaçar as mangas e trabalhar do primeiro ao último dia nessa gestão, em prol de um Judiciário forte, independente, e principalmente respeitado” e completou, “estaremos todos juntos nesse biênio unidos, fazendo uma gestão participativa e transparente”.

Na Corregedoria Geral da Justiça, o candidato eleito no segundo turno foi o desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças. Ele falou com a Central de Notícias Registradores sobre as perspectivas de atuação no próximo biênio.

“Eu vou montar uma equipe, e vou contar com a colaboração de desembargadores e de juízes que se especializaram nessa área com as quais eu já havia conversado antes. Inclusive alguns que estiveram no Conselho Nacional de Justiça e tem um macro visão do serviço Extrajudicial. Posso lhe adiantar que no Brasil, 70% dos serviços Extrajudiciais estão no Estado de São Paulo. Não é preciso ir mais além, para sustentar a relevância que a atividade Extrajudicial tem e terá que ter na ótica da Corregedoria e nos trabalhos, na condução daquilo que existe.

O vice-presidente, também escolhido no segundo turno, foi o desembargador Ademir de Carvalho Benedito. Para o Conselho Consultivo da EPM, a chapa vencedora foi a do desembargador Antônio Carlos Villen, com 235 votos a seu favor.

O desembargador Luiz Antônio de Godoy assumirá a Seção de Direito Privado, e a Seção de Direito Criminal será regido pelo desembargador Renato de Salles Abreu Filho. Já o desembargador Ricardo Henry Marques Dip presidirá a cúpula da Seção de Direito Público, sendo candidato único durante a votação.

Ao final, todos se reverenciaram e almejaram bons trabalhos para o Conselho Superior da Magistratura que assumirá o TJSP nos próximos dois anos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Notícias Relacionadas



Copyrıght 2019 ARISP. All RIGHTS RESERVED.

Content
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório