incra

Incra soluciona demanda histórica no Sul do Pará com assentamento de famílias

A Superintendência Regional do Incra no Sul do Pará realizou, nesta segunda-feira (11), a entrega de oito lotes da reforma agrária para famílias sobreviventes do conflito na Fazenda Ubá, ocorrido em 1985.

O conflito resultou na morte de oito pessoas, entre 13 e 18 de junho de 1985, que haviam ocupado um castanhal do fazendeiro José Edmundo Ortiz Vergolino, na Fazenda Ubá, em São João do Araguaia (PA). As vítimas eram trabalhadores rurais sem terra que reivindicavam inclusão no programa de reforma agrária do Governo Federal.

O assentamento atende ao “Acordo de Solução Amistosa”, firmado entre os parentes das vítimas, Estado e União, por intermédio da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH-OEA), que previu reparação formal dos poderes públicos e uma série de compensações aos familiares. No acordo, coube ao Incra o repasse de lotes às oito famílias sobreviventes e o assentamento delas no município São João do Araguaia, no sudeste paraense.

As áreas onde as famílias serão assentadas foram retomadas administrativamente e se localizam nos projetos de assentamento Veneza e 4 de Junho, ambos no município de São João do Araguaia.

O superintendente regional do Incra do Sul do Pará, Paulo Garcia, afirmou que o caso se tornou prioridade ao assumir a direção da autarquia, em agosto de 2015. “Identificamos algumas situações e compromissos que se arrastavam há anos. Entre elas, o caso dos parentes das vítimas do massacre. Determinamos trabalhos com vistas à solução da demanda e, em menos de seis meses, a situação foi resolvida”, disse.

Os beneficiários foram indicados pelas famílias das vítimas. Sendo, então, assentados José de Ribamar Lima Almeida, Ediane dos Santos Silva, Domingos Lima Almeida, Carlito Ferreira da Silva, Carmil Ferreira da Silva, Luciana Ferreira da Silva, Ana Lúcia Ferreira da Silva e Ronaldo Ferreira da Silva como parentes das vítimas do massacre Valdemar Alves de Almeida e José Pereira Alves.

Para Carlito Ferreira da Silva, filho de Valdemar Almeida, há uma satisfação pelo cumprimento do acordo. “É satisfatório, porque chegou num momento em que todos estamos precisando. Todos são adultos, donos de suas próprias famílias e, hoje, vai mudar toda uma trajetória, teremos oportunidade de crescer, de fazer alguma coisa que pretendiam realizar”, afirma.

Participaram da reunião de entrega das áreas as famílias beneficiadas, o defensor agrário de Marabá, Rogério Siqueira, e representantes do Incra no Sul do Pará: o superintendente regional, Paulo Sérgio Garcia, a chefe da Procuradoria Federal Especializada Regional, Cintia Monique, o chefe da Divisão de Desenvolvimento, Alex Santos Lustosa de Aragão, e o analista em Reforma e Desenvolvimento Agrário, Cláudio Nascimento da Silva.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Notícias Relacionadas



Copyrıght 2018 ARISP. All RIGHTS RESERVED.

Content
nome
email
Receber e-mail? receber
não receber