Mercado imobiliário cresce 80% e movimenta R$ 4,8 bi em Ribeirão Preto – SP

O setor imobiliário de Ribeirão Preto (313 km de São Paulo) movimentou R$ 4,84 bilhões de janeiro a novembro o ano passado – 80% a mais que os R$ 2,69 bilhões do mesmo período de 2012.

O aumento de 20,5% no número de escrituras de compra e venda de imóveis impulsionou o resultado no período. Foram 17.651 registros em 2013, ante 14.639 em 2012.

Segundo especialistas, os dados divulgados pela Acirp (Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto), com base nas informações fornecidas pelos 1º e 2º cartórios de registros de imóveis, são reflexos do grande número empreendimentos lançados em 2008, 2009 e 2010.

Esses imóveis ficaram prontos no ano passado e, consequentemente, tiveram as escrituras registradas ao longo de 2013.

“Muitos empreendimentos foram lançados entre 2008 e 2010. Como o ciclo de obras dura de três a quatro anos, a maioria foi finalizada em 2012 e 2013. Por isso, esse número recorde”, afirmou Eduardo Nogueira, diretor regional do Sinduscon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo).

O delegado do Creci (conselho de corretores) em Ribeirão, Antonio Marcos Melo, disse que o mercado aquecido nos últimos anos deve-se às facilidades de compra.

“Há segurança em termos de salários, inflação baixa, juros atrativos. Hoje não compensa mais pagar aluguel. A pessoa faz uma reserva, dá uma entrada no imóvel e vai pagando a parcela com valores bem acessíveis”, disse.

Diretor do Instituto de Economia da Acirp, Antônio Vicente Golfeto, afirmou ainda que o bom desempenho da economia da região beneficia a cidade.

“A renda gerada em Pradópolis, Sertãozinho, vira produtos e serviços em Ribeirão. E a procura de imóveis por moradores de municípios vizinhos é grande.”

João Paulo Fortes Guimarães, diretor da imobiliária Fortes Guimarães, confirma a tendência de procura de imóveis por habitantes de outros municípios.

“Em Ribeirão tem vários shoppings, vários serviços, entretenimento. O desenvolvimento regional é sentido aqui através da procura por imóveis”, disse.

Ele falou também que muitas inaugurações de empreendimentos “coincidiram” em 2013, o que elevou os números do setor.

O casal de comerciantes André Takei Ueda, 30, e Priscila Tieko Ueda, 31, é o exemplo clássico do perfil de clientes que ajudou a fazer com que os números de 2013 fossem tão elevados.

Em 2010 eles compraram na planta um apartamento no bairro Lagoinha, que ficou pronto somente no ano passado.

.

Fonte: Folha.com

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Notícias Relacionadas



Copyrıght 2019 ARISP. All RIGHTS RESERVED.

Content
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório